quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

"Lavar louça...gosto muito"

Não é tarefa fácil, né?

Eu pessoalmente não tenho lá tantos pré-conceitos ao lavar a louça. Mesmo por que com essa mania de MARIA paninho, como diz marido meu, não deixo nem por decreto acumular louça na pia.  Talvez seja por que desde pequenina sempre lavei louça e outros utensílios. Daí ,creio, desenvolvi uma técnica muito boa.
Quando na cozinha para preparar seja qualquer tipo de alimento, tudo o que vou usando já vou lavando e muitas das vezes, quando percebo já guardei até o que ainda vou usar. Manias! Mas creio que ainda desenvolvi o TOC, eu acho....kkk
Enfim eu gosto de lavar louças.
Mas hoje em dia devemos mesmo ter um carinho especial ao arduo trabalho de uma dona de casa. Temos que economizar em tudo. Na água, na energia elétrica, na feira ou varejão, na farmácia, no mercado, nas compras ao Shopping (vestuário, calçados, acessórios...), na lista de materiais escolar para nossos filhos, no lixo que todos os dias juntamos, separamos, reciclamos..... 
Mas eu estava pensando cá com meu botões:- quando era pequena e fui criado por avó materna, lembro-me do quanto era complicado toda essa maratona que vivemos hoje e bem pior, pois as mulheres de antigamente não tinham tantos recursos como hoje temos. Pensando bem com tantas máquinas a nosso favor, estamos mesmo é voltando a sermos as antigas donas de casa como nossas avós. Lutamos tanto e voltamos ao ponto de partida.
Passeando pela internet vejo tantos blogs que nos ensinam de um tudo de receitas culinárias a como lavar a louça.
Mas graças a Deus as mulheres estão voltando a ser mais prendadas, mesmo tendo suas vidas profissionais e serem realizadas no que fazem. Vejo muitos blogs dizendo que largaram suas profissões de base, para se tornarem artesãs e viverem de seus trabalhos manuais, e mais felizes. Com isso podem ajudar na renda familiar (muitas vezes vivem apenas com essa renda) e ficarem mais pertinho de seus filhos.
E o que isso tudo tem a ver com "Eu adoro lavar louça"???
Tem tudo haver, uma casa onde tudo está bem, cheia de energias positivas, cheia de alegria e felicidade na minha opinião, começa na cozinha, sempre limpa e organizada, pois é de lá que alimentamos nossa família com o alimento para o corpo e alimento para alma, do amanhecer ao anoitecer.
Ao lavarmos a louça com certeza, pelo menos para mim, dá uma sensação de dever cumprido.

Ma vocês poderiam me perguntar e se você estivesse na condição dessa imagem aí acima? Uma mulher desconsolada ao ver a pia lotada de louças, as roupas espalhadas pelos quartos, os brinquedos das crianças por todo lado, o lixo para ser ensacado e posto para fora....e vai por aí???
Penso que tudo nessa vida é uma questão de diálogo. Uma dona de casa não é escrava da família que ela gerou, muito pelo contrário. Penso que tudo pode ser feito com um bom e longo diálogo. Se seu marido é daqueles que foi mal criado pela mãe, com uma boa conversa e exemplos a ser seguidos tudo se ajeita. Meu marido mesmo, quando do nosso casamento, veio de um lar onde sua mãe era uma verdadeira Amélia. Seu pai nada fazia, queria à mão e os filhos homens seguiram seu exemplo. eu com todo jeitinho e educação fui mostrando a ele que a coisa não poderia ser daquele jeito e disse a ele tomar como exemplo meu pai.
Papai sempre partilhou dos deveres da casa com minha mãe, os dois trabalhavam e nada mais justo do que dividir as tarefas domésticas e quando da nossa vinda ao mundo no tempo certo eu e meu irmão sempre tivemos nossa parcela e compromisso de ajudarmos no que fosse para ajudar nossos pais. Cada um fazendo a sua parte tudo fica mais fácil e prazeroso.
E não é por conta de que somos "apenas" donas de casa que não precisamos da ajuda de nossos maridos e filhos. Somos donas de casa com o mesmo direito de todos,
Dividir tarefas é bom e não mata ninguém.


Mas se você se sente só nessa ardua tarefa, que tal ler o livro



 "A REVOLUÇÃO DAS DONAS DE CASA"
de Marie Theres Kroetz-relinEditora: Cultrix
Pequeno resumo::..


"Tantos talentos em troca de salário nenhum: numa jornada de mais de doze horas, a dona de casa é pedagoga e faxineira, cozinheira e pediatra, secretária e contadora, além de motorista, cabeleireira, nutricionista, decoradora, psicoterapeuta, musa, esposa compreensiva e amante, sem exigir nada em troca. Será que ser dona de casa é sinônimo de uma vida boa?

Este livro fala de solidão e decepção, pois com o acúmulo de tantas atividades importantes a dona de casa em geral se sente só e incompreendida. Críticas não faltam e, quando ela precisa, não conta com muita ajuda para resolver as crises domésticas. Recebe olhares de desprezo ao dizer que é dona de casa, como se não fosse o elo mais importante dessa engrenagem chamada família.

Para mudar essa situação, representando milhões de mulheres que são "meras" donas de casa, a autora conclama à solidariedade e reúne os primeiros e mais corajosos textos provocantes deste movimento: a revolução das donas de casa."

fonte aqui
Ser dona de casa não é tão mal assim, basta se organizar, ouvir uma boa música, parar no tempo devido para relaxar. Se puder ter esses maravilhosos auxiliares inventados pelo homem para a nossa ajuda e o que é mais importante, não querer ser a salvadora da pátria e tomar tudo para si. Converse, dialogue e peça ajuda sim, sem medo de amar.

Para refletir e ser feliz...

“Com a sabedoria edifica-se a casa, e com a inteligência ela se firma, pelo conhecimento se encherão as câmaras de toda a sorte de bens preciosos e deleitáveis.” (Pv 24.3-4)
[tess_pink_roses3.jpg]
Toda mulher sábia edifica a sua casa; a insensata, porém, derruba-a com suas mãos.” (Pv 14:1)

O rei Salomão identificou as três grandes pedras fundamentais do lar:

1. Sabedoria - conhecimento dos caminhos de Deus e capacidade de tomar as decisões certas tanto em assuntos práticos como éticos;

2. Inteligência - capacidade de aplicar os princípios de Deus principalmente nos relacionamentos;

3. Conhecimento - habilidades úteis em áreas específicas.

O lar é o lugar em que pais e filhos aprendem a sabedoria de Deus e sobre como aplicá-la em sua vida, em que relacionamentos amorosos são edificados sobre compreensão e comunicação mútuas e em que crianças e adultos aprendem e desenvolvem as habilidades práticas necessárias para uma vida feliz.

A mulher, além de ajudar os membros da família a ter um bom relacionamento no contexto do lar, deve criar um ambiente no qual cada um possa sentir-se completamente à vontade, cuidado e seguro. Espera-se que o lar seja um refúgio para as tempestades da vida.

A capacidade da mulher de administrar a casa deve estar impregnada de criatividade e de amor para que o lar espelhe seu estilo pessoal. A capacidade de administrar uma casa era muito apreciada nos templos bíblicos, e ensinava-se às jovens principalmente o cuidado do marido, dos filhos e da casa (Tt 2.3-5)

Contudo, a administração do lar, sob a perspectiva bíblica, não está limitada ao cuidado da casa, em si, ou o atendimento das necessidades materiais, mas abrange também a criação de um ambiente estimulante e agradável, onde a família pode florescer emocional e espiritualmente. No contexto de um lar como este, nossa identidade forma-se de maneira saudável e positiva, tornando-nos realmente preparados para ministrar a outros. O lar edificado no Senhor Jesus e cuidado por uma mulher que gasta tempo com o Senhor, diariamente, em busca de sabedoria, inteligência e conhecimento, permanecerá firme nas turbulências da vida.

Extraído da Bíblia da Mulher –

Está bíblia ganhei de presente de minha cunhada Ana Maria esposa do irmão de meu marido. Sou católica, todos sabem mas respeito muito as outras religiões e creio que para nós católicas nos falta uma Bíblia assim, essa é excelente e eu recomendo.




Beijos meus,

cheios de luz, paz, amor, fé e esperança!




4 comentários:

Maria Luiza disse...

Rosane, imenso post! Imensa alegria, pois vc arregaça mesmo as mangas para nos ajudar com tanta informação. E o mais importante: são de excelente qualidade de qualidade! Parabéns!!!Rosane, tbém adoro cuidar da minha casa. Gosto de mantê-la sempre em ordem, na medida do possível, pois ainda tenho minha neta, que bagunça um pouco, sem contar a bicharada que entra e sai. Lavar louça, sou como vc, vou usando e

Maria Luiza disse...

e vou lavando tbém. Tem dias que deixo a louça pois não aguento o cansaço. Vc viu que eu publiquei sem querer o comentário sem terminá-lo? KKKKK!!!! Rosane, agora sim terminei e lhe mando meu carinho prá vc, viu?

raquel disse...

Oi Rô!
Amei demais seu post de hoje!
Primeiro falando da simplicidade do nosso cotidiano de donas de casa (com muito orgulho!!!).
Eu não gosto muito de lavar louças, mas como você, quando estou no comando da cozinha, vou fazendo a comida e lavando as louças e panelas que estão sendo usadas, assim quando termino o almoço ou jantar, só ficam algumas poucas panelas e os pratos e talheres que estão na mesa.
O serviço de casa, apesar de ser pouco valorizado, é muito massante e repetitivo, sem dia santo nem feriado, então mesmo que não trabalhemos fora, precisamos sim da ajuda e divisão das tarefas para tudo ser mais prazeroso de cumprir, sem sobrecarregar ninguém!
Muito legal a indicação da leitura sobre o assunto tão pertinente à nós mulheres, quase sempre esposas, mães, donas de casa, profissionais com jornadas duplas, e todos os atributos e adjetivos que você transcreveu na descrição do livro.
Por fim obrigada por este texto tão lindo, retirado da Bíblia da Mulher, onde somos enaltecidas como a peça mestra na união, amor e paz dentro da nossa família.
Também sou católica como você, mas sempre aberta a absorver coisas boas, dentro da nossa Igreja ou de outras vertentes irmãs que acreditam no mesmo Deus e na Santíssima Trindade, base dos nossos ensinamentos e da nossa Bíblia.
Bjão amiga!

Lucinha Cullen's Garden and Cia disse...

Oi Rô,

Dona paninho..rsrs engraçado. Já fui chamada de "mania e limpeza".rsrs
Gosto de lavar louça e concordo com você. A cozinha tem que estar limpa.
Mas me atendo para o fato de economizar água, as vezes deixo juntas algumas, mas por um tempo curto, apenas para não gastar muita água.
Se eu dormir com louça na pia, parece que meu sono não é o mesmo.rs
Acho que essa mudança no comportamento das mulheres, realmente é o tempo voltando.
Não deixei minha profissão pra cuidar da família, talvez um caso bem diferente dos demais, mas hoje, sinto-me uma pessoa bem melhor. Pois estou aprendendo a fazer coisas com minhas próprias mãos, e a satisfação que isso me dá, não tem dinheiro que pague. As vezes não acredito que passei mais de 21 anos de minha vida trancada num escritório com um monte de papeis e problemas para resolver.rs
Lavar louça, aprender artesanato, fazer ginástica, caminhar, estudar, praticar esportes, limpar jardim e cuidar de plantas, ser blogueira e muito melhor.rs
Obrigada pelo seu carinho e preocupação comigo. Continue rezando. Beijos