sábado, 27 de novembro de 2010

-Receitas festas natalinas-PN2010-

 Vivemos em um país com uma micigenação de raças e etnias que poucos países possuem. Fomos  e somos influenciados por costumes de quase todos os povos que vivem em nosso planeta. É só você dar uma olhadinha em sua própria família. Com certeza você vai deparar com pelo menos quatro raças diferentes. E nessa mistura toda formamos o Povo mais solidário que existe na face da Terra. Acolhemos a todos com carinho , graça e beleza de coração. Somos meio que Mãe para todas as raças e isso nos engrandece e nos deixa no ranking com medalha de ouro que com orgulho gostamos de exibi-la no nosso peito. Por aqui não tem guerra (a não ser essa que nesses dias está se passando no nosso Rio de Janeiro, mas que com a graça de Deus as autoridades vão vencer pois o Bem jamais baixará sua cabeça para o Mal eu creio), tirando essa mancha negra de nossa Raça, não podemos dizer que vivemos em país tão ruim assim. Eu amo meu país de paixão e creio que jamais trocaria nosso Sol, nossas Matas, nossas praias, nossas cidades encantadoras por nenhum país desse mundo de Deus.
Como aqui no blog do Receitinhas e dicas da Vovó Rô reina sempre a paz e o amor a partir de hoje vou colocar as Receitinhas para o seu Natal e Ano Novo, seguindo meu Projeto Natal 2010.
São receitas que já fiz, mas que na época ainda não tinha esse espaço para compartilhar com todos como tenho hoje.
Algumas receitas são tradicionais de minha família ou seja uma pequena mistura de raças (papai (Austríaco+índia cabocla, mamãe espanhol+italiano) viu como pelo menos temos quatro raças a circular em nosso sangue? E depois, você cresce e se casa e o marido traz em si mais (no meu caso) três raças portugueses de pai e siciliano  e argentino de mãe. Com toda essa mistureba você vai aprendendo costumes, hábitos, religiões diferentes , enfim, acaba chegando na cozinha, e prepara receitas para  todos os gostos e paladares.
Mas muitas dessas receitas foram tiradas do GRANDE LIVRO DE RECEITAS DE NATAL , que ganhei de marido. Esse livro contem além das receitas imperdíveis, dicas, história da origem do prato, cultura muita cultura.
A cada dia vou colocar uma receitinha tanto do livro como as tradicionais da minha família que fui ao longo desses quase 36 anos de casada, aprendendo, fazendo e guardando para minha filha. Quem sabe sabe ela dará continuidade as tradições da família???

Então venha passear comigo no mundo gastrnômico das receitas de Festas Natalinas



 Bolo-rei

Ingredientes

 30g de fermento biológico
 500g de farinha
 180g de açúcar
50g de margarina
 4 ovos
150g de frutas cristalizadas
50g de frutas secas
1 cálice de aguardente
1 cálice de vinho do Porto
leite, açúcar de confeiteiro e geléia ou calda de açúcar de sua preferência

 Modo de fazer::..

 Dilua o fermento num pouco de leite. Junte-o a um pouco de farinha e amasse bem. Deixe repousar, por 30 a 35 minutos em local quente, até dobrar de volume.
 Acrescente, então, o açúcar, a margarina, previamente amolecida, a restante farinha e três ovos. Bata bem e vá adicionando leite na quantidade necessária para ligar os ingredientes.
 À parte, pique 80g de frutas cristalizadas e coloque os frutos secos a macerar na aguardente. Adicione à massa, assim como o vinho do Porto. Bata mais um pouco, até a massa formar bolhas, Polvilhe a superfície da massa com farinha e deixe crescer em local quente.
 Em seguida, forme uma bola com a massa e abra uma cavidade no centro, obtendo assim a forma do Bolo-rei. Pincele com o restante ovo.
Decore com a fruta restante e cubra com montinhos de açúcar de confeiteiro.
Leve ao forno em fogo brando  e asse até dourar. Retirar do forno e reguar com geléia ou calde de açúcar.

Nota da vovó Rô::..
Na receita original do livro mada-se assr no microndas, num prato próprio com pelicula aderente, durante 8 minutos em potência máxima. Em seguida, retirar a película e levar ao forno por 1 ou 2 minutos. Retirar do fono e regar com geléia ou calda de açúcar.

 Depois de assado.
Eu fiz no nosso primeiro Natal depois que ganhei de presente de meu maridão.


IMPORTANTE::
Essa receita é original do GRANDE LIVRO DE RECEITAS DE NATAL da Editora IMPALA.
Portanto se você quiser copiá-la POR FAVOR COLOQUE OS CREIDITOS A EDITORA IMPLA INDICANDO O GRANDE LIVRO DE RECEITAS DE NATAL.



A Oreigem do Bolo-rei

 Conta-se que esse bolo teve sua origem em Roma e daí foi levada para a Françae, posteriormente, para  Espanha. Mas ele s´chegou em Portugal pelas mãos do bisneto  do fundador da Confeitaria Nacional, que
trouxe a receita de Paris há mias de cem anos.
A origem da fava escondida no bolo-rei está ligada à seguinte lenda::..
 "Ao visitarem Jesus, com a intenção de lhe oferecerem ouro, incenso e mirra, os três Reis MAgos disputaram entre si a primazia de ser o primeiro a oferecer o presente. A questão ficou resolvida quando um artesão decidiu fazer um bolo, em cuja massa incorporou uma fava Repartindo pelos três, o primeiro a oferecer os presentes ao menino Jesus seria aquele em cuja parte se encontrasse a fava. O caso tornou-se conhecido e, daí em diante, passou a ultiluzar-se a fava sempre que houvesse necessidade de tirar à sorte uma pessoa para desempenhar uma tarefa ou pagar uma despesa. 
Do ponto de vista histórico, sabe-se também que desde o período dos Romanso se praticava o jogo da "rainha da fava". ainda hoje jogado em França, este jogo conciste em servir-se um  bolo em família e fora de casa, no qual estão escondidas uma ou duas favas. quem a encontrar na sua fatia é proclamado rei ou rainha, tendo o privilégio de esxpressar os votos de boas-festas na restante parte do dia.
Uma outra lenda deiz ter sido um bolo de fruta seca. Os crentes deviam comer doze daqueles bolos entre o dia de Natal e o de Reis. A côdea simboliza o ouro; o miolo e as frutas secas, a mirra; e o aroma o incenso.
A receita do bolo-rei acima é a receita tracional, presença indispensável em todas as mesas portuguesas e nas nossas também afinal, somos parte integrante da família portugesa que nos descobriu.
 Retirada do Grande Livro de Receitas de Natal


Beijos de bom fim de semana para você!
Cheio de luz, paz, amor, fé e esperança!

4 comentários:

Maria Luiza disse...

RÔ, coisa espetacular essa lenda! Eu amo saber a origem de tudo, principalmente na culinária, modéstia a parte mas tenho uma cultura até que grande. Este bolo é realmente muito bom, aliás todo bolo europeu natalino é de tirar o fôlego. Parabéns minha querida pelo excelente post. Arrasou, heim?

Nayara disse...

♥ Procurando na net o significado da palavra tarde encontrei o teu blog e...simpatizei. Estou te seguindo.
Desculpa a visitinha rapida, mas certamente voltarei com mais calma para apreciar esse blog que achei tão gostoso.
Um grande abraço.

Nayara disse...

♥ Esqueci kk
Tenho esses blogs:
XERETANDO NA COZINHA - http://xeretandonacozinha.blogspot.com - como diz o nome, não sou uma cozinheira, mas uma xereta mesmo kkk.
XERETANDO NAS ARTES - http://nayara-artes.blogspot.com - creia porque é verdade!! Aos 52 anos despertei para as artes, o artesanato.
DAY BY DAY - http://nayaramaranhao.blogspot.com - mensagens, livros, filmes, testemunhos, diversos
TOCANDO O SHOFAR - http://tocandooshofar.blogspot.com - puramente evangelistico com estudos fundamentos na Bíblia.
Um abraço querida e lindo, lindo final de semana para voce de todo o meu coração.

José Maria Lobato disse...

Oláááááá, mmmmm, já fiquei com água na boca, em especial com o "Bolo Rei" que tantas lembranças e saudades me traz da minha terra Natal. Por aqui temos mais o "Panetone", mas para mim nada como o delicioso "Bolo Rei".
Beijocas, Zé Maria