quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Receber é uma arte e que arte....


imagem aqui


Como arrumar a mesa e como comportar-se nela tem regras que jamais podemos esquecer.

Por isso que relembrar alguns quisitos importantes para podermos praticar com educação, charme, carinho e muito amor ao receber àqueles que mais amamos.
Não importa sejam eles convidados especiais, amigos e principalemte nossa família. Principalmente nossa família à qual fizemos tantos esforços para poder constituir.
É por eles e para eles que devemos ser sempre uma amada anfitriã.

Vamos aprender, ou, para as que já o sabem vamos relembrar

dica etiqueta a mesa
uma mesa bem posta é aquela que deixa o convidado à vontade para saborear os pratos sem ter que ficar cruzando as mãos por cima do prato à procura dos talheres. No dia-a-dia, a mesa é posta com mais simplicidade, porque o cardápio é simplificado. Já nos dias de festa, em que as iguarias se sucedem, o aparato é maior.
§ Para receber, arrume da seguinte maneira os convidados à mesa:
  • O anfitrião e a anfitriã deverão sentar-se à cabeceira da mesa;
  • O convidado de honra fica sempre à direita da anfitriã, e a convidada, à direita do anfitrião. Para que as pessoas fiquem entrosadas, os outros casais deverão ficar separados, tendo-se o cuidado de colocar próximas pessoas que tenham alguma afinidade.



Não se servir antes do anfitrião. Ao sentar-se à mesa no lugar que lhe foi indicado, o convidado pode logo tirar o guardanapo do prato e colocá-lo em posição, mas não pode começar a se servir antes do anfitrião ou da anfitriã, e antes que os convidados já estejam em boa parte servidos. Em uma mesa de menos de dez pessoas, espera até que todos estejam servidos para começar a comer. Tratando-se de longas mesas com várias dezenas de convivas, espera que perto de dez estejam servidos, para começar.


Posição à mesa. As cadeiras à mesa do jantar já facilitam a postura certa para a pessoa sentar-se à mesa: elas têm encosto reto, e assento curto. O convidado deve sentar com o tronco na vertical, descansar os pés sobre o piso sem apoiá-los nas travas frontal ou laterais da cadeira, por uma perna sobre a outra, e jamais afastar a cadeira para cruzar as pernas tornozelo sobre joelho, ou balançar a cadeira sobre os pés de trás.


Propriedade no uso dos talheres. Ao ver o grande número de talheres colocados na mesa junto ao prato, a pessoa pode recear se confundir. Mas há uma regra geral bem simples. O talher a ser usado é o que está mais afastado do prato. Alguns talheres poderão ser retirados pelo garçom ou substituídos por outro de modelo diferente, e isto dependerá do prato escolhido para a refeição. Porém ele os colocará na mesma ordem. Apesar dessa regra simples, é conveniente a pessoa procurar conhecer os vários tipos de talheres e a quais pratos seu uso se relaciona, a fim de poder proceder com mais desembaraço. Quanto ao seu manejo e posições de descanso. De qualquer forma se você não tiver com prática em manusear os talheres e os copos, o que pode ser aconselhado é que na dúvida observe discretamente o anfitrião a manuseá-lo.
Ao mesmo tempo, se você é um grande conhecedor de etiqueta, nunca chame a atenção dos anfitriões ou de convidados que estejam participando da refeição, proceda naturalmente fazendo o correto.
A escolha do material e do desenho do faqueiro depende muito do seu estilo de vida. É claro que para o suo diário é ideal o faqueiro de aço inoxidável (que combina muito bem com jantares informais). Para os dias especiais você pode optar por um faqueiro de prata com desenho clássico, ou então um mais moderno, com talheres de cabo de madeira, bambu ou madrepérola.
O uso dos talheres segue, normalmente, as normas da etiqueta européia:
- garfo sempre na mão esquerda, faca na direita;
- faca só se usa para cortar;
- legumes, croquetes ou tortas não devem ser cortados, mas partidos com o garfo;
- quando garfo e faca não estiverem sendo usados, devem ser colocados sobre o prato, e nunca com o cabo apoiado na mesa;
- terminada a refeição, coloque garfo e faca lado a lado, sobre o meio do prato no sentido vertical.


  • Copos de bebidas
Um jogo de cristal mais fino dá brilho à mesa. O ideal é que todos sejam do mesmo material e modelo: copo de água, de vinho tinto e de vinho branco. A preferência por cálices de pés altos tem uma explicação: como a mão não toca diretamente o copo, mantém-se melhor a temperatura do vinho.
Além dos copos que vão à mesa, um serviço de cristal deve ter copos para outros tipos de bebida: cerveja, conhaque, uísque, champanhe, licor. E, se quiser, acrescente: cálices para vinho tipo Porto, xerez e copo para caipirinha.
Com exceção dos copos para caipirinha e cerveja, os demais copos devem ter bordas finas, para não alterar o sabor e textura das bebidas.
Água, sucos e refrigerantes devem ser servidos sempre em jarras de vidro ou prata, nunca em garrafas.


Como colocar os talheres, pratos e copos na mesa

Escolher e utilizar corretamente os talheres (a prata) é fundamental para as boas-maneiras à mesa. Os talheres variam em tamanho e forma segundo suas finalidades, e são dispostos numa certa ordem sobre a mesa, junto ao
prato da refeição (fig. 1). A ordem é simples: garfos e facas ficam nos lados correspondentes às mãos que vão utilizá-los para cortar, não para comer. O garfo, seguro na mão esquerda, retém a peça que é cortada com a faca segura na mão direita. As pessoas destras mudam o garfo de mão, passando-o para a direita, para levar o alimento à boca, e deixam a faca descansando sobre a borda superior direita do prato (fig. 3), enquanto comem. Quando vão cortar novamente a peça de alimento, fazem voltar o garfo para a esquerda e utilizam a faca com a mão direita.
O procedimento acima descrito é o que é usado no Brasil e na maioria dos países da América do Sul e do Norte, e da Europa, salvo a França e os países de influência cultural francesa. Na França e nos países de cultura francesa o garfo fica na mão esquerda não apenas quando se corta a carne ou outro alimento, mas também para comer, com uma particularidade a mais. Mostrando grande habilidade, os franceses conseguem equilibrar a comida sobre o ado convexo do garfo! Gastam um tempinho arrumando a montanhazinha de comida no lado inverso do garfo, seguro pela mão esquerda, com o auxílio da faca segura pela mão direita. Portanto, para imitar os franceses, não basta comer com a mão esquerda: é preciso também saber utilizar o garfo com o lado convexo para cima.
A disposição dos talheres junto ao prato, e a posição dos copos e do pratinho de pão seguem o esquema da
figura 1. A arrumação dos talheres deve ser feita em conformidade com o cardápio a ser servido, por exemplo: se você não for servir ostra ou peixes, não há necessidade de colocar esses talheres. Ou se o prato foi somente peixe, não precisa colocar talheres de carnes
Uma refeição completa compreende vários pratos e esta é a razão de tantos talheres, e de eles variarem de forma e tamanho, como mostra a figura 1. Na figura estão dispostos os talheres para um almoço ou jantar informal de quatro pratos: a ostra como aperitivo, uma sopa ou caldo como entrada, o primeiro prato e o prato principal. Os copos são para água e duas qualidades de vinho. A ordem dos talheres e dos copos é a mesma em que os pratos serão servidos: os primeiros talheres a serem usados são os mais afastados do prato.
O pequeno garfo de três dentes (1) é o usado para comer ostras; a colher (2), para a sopa; a faca e o garfo mais externos (3 e 4) serão para o primeiro prato, geralmente uma carne branca como peixe ou frango. Se for peixe, esse jogo de talheres será trocado pelo que é próprio para comer peixe.

Fig. 1
A faca e o garfo mais próximos do prato (5 e 6) são para o prato principal. Os demais talheres e utensílios são a faca de manteiga (7); o guardanapo (8); o sous plat ou prato de serviço (9); o prato de pão (10); e os copos, o de pé maior (11), para água;. o copo médio (12) para o vinho tinto que acompanha o prato principal;. e o copo de pé menor (13), para o vinho branco que acompanha o primeiro prato. O prato de serviço ou sous-plat funciona como uma bandeja para os pratos de refeição. Sobre ele é colocado o prato de sopa e, na seqüência, o primeiro prato e o prato principal. É removido junto com este último, antes da sobremesa.
O talher usado nunca é deixado sobre o forro da mesa. Nos intervalos em que não está a ser usada, a faca é deixada obliquamente em dois pontos de apoio sobre a borda, na posição da corda de um arco, a ponta para o lado mais afastado do prato e o cabo na borda direita.
Se você descansa ambos os talheres por algum motivo, como para usar o guardanapo, partir o pão, etc., o garfo é colocado fazendo um triângulo com a faca, esta na posição oblíqua já descrita da corda de um arco de flecha, e o garfo direcionado para a frente, com o cabo voltado para você (Fig. 2).

Fig. 2
Durante uma troca de pratos, ou se a pessoa estende o prato para facilitar ser servida, deve reter consigo os talheres. Existem vários tipos de descansos para talheres, em metal e mesmo esculpidos em ágata, para serem usados nesse momento (fig. 3). Se não houver descansos para talheres, segure-os juntos, na mão esquerda., em posição horizontal ao nível da mesa, e não na vertical.
É o que aconselho porque me parece igualmente ruim sujar o sous plat ou prato de serviço com alguma particula ou gordura dos talheres.O que nesse caso se aplica aos talheres, aplica-se também aos pauzinhos, na comida japonesa. Porém, como os pauzinhos são redondos, o descanso é côncavo, na forma de lua crescente; para os talheres ele pode ser horizontal, mas o modelo arqueado é mais seguro para evitar que as peças caiam sobre a toalha.

Fig. 3
Ao terminar uma refeição, a pessoa deixa o garfo e a faca unidos em paralelo, dentro do prato, com os cabos apoiados na borda do lado direito, aproximadamente na direção 4:20 horas. A etiqueta recomenda que o lado cortante da faca esteja voltado para o interior do prato e o garfo com os dentes para cima (Fig. 4). É considerado reprovável deixar os talheres inclinados, com as pontas apoiadas nas bordas, do lado de fora e de cada lado do prato, como as asas abertas de uma ave. Os talheres de sobremesa são trazidos à mesa junto com o prato de sobremesa.
Mas podem também ser deixados na mesa desde o início da refeição, colocados logo acima do prato de serviço, linearmente entre o pratinho de pão (ou de manteiga) e os copos. Os cabos da colher e da faquinha de sobremesa são voltados para a direita e o cabo do garfo para a esquerda.

Fig. 4
A taça da sobremesa terá por baixo seu próprio prato de serviço. Neste caso, a colher utilizada é deixada, ao final, sobre esse prato de serviço, e não na taça em que a sobremesa foi servida.



Os cotovelos. Não colocar os cotovelos sobre a mesa é um preceito bastante conhecido. Cotovelos sobre a mesa enquanto mastiga, principalmente com o garfo e a faca nas mãos, compõem uma péssima postura à mesa. Apenas as mãos e os punhos podem apoiar-se sobre a mesa enquanto a pessoa come. Ao utilizar a faca e o garfo para cortar, mantenha os cotovelos próximo do corpo, para evitar tocar o vizinho de mesa Após os discursos e brindes, se houver, ou se não, a partir da sobremesa, durante o cafezinho e os licores, é tolerável uma postura menos formal e a atitude pode ser um pouco mais à vontade.


Falar enquanto come. É necessário saber falar enquanto se está comendo. Não falar com a boca cheia, e não mastigar com a boca aberta, e não mastigar ruidosamente são também preceitos bastante conhecidos. Poucas palavras e frases curtas quando se tem comida na boca, e interromper a refeição quando tiver que ser mais extenso, deve ser a regra. Falar enquanto come pode induzir a pessoa a engolir muito ar, resultando dores no estômago e no peito, além de outros inconvenientes. A pessoa deve manter os talheres na mão enquanto fala: garçons inexperientes costumam retirar o prato de quem descansa os talheres enquanto fala.


Repetir pratos. Nas refeições informais nenhuma restrição pode haver quanto a se repetir um prato, e o mesmo acontece com o bufê. Porém, quando estão previstos vários pratos a serem servidos na ordem própria de uma refeição completa servida à francesa, somente se repete um prato se o garçom oferecer uma segunda vez. Caso contrário, não se pede para repetir a sopa ou qualquer dos pratos. Em uma refeição completa um prato completa o precedente, de modo que a fome não será aplacada com o primeiro deles, mas somente ao fim da refeição, incluída a sobremesa.


Fonte aqui



Bom e maravilhoso dia para você cheio de luz e paz!
Rosane!



Um comentário:

Claudia disse...

Rô, sabe que no domingo, voltando da feira, passei na sua rua, mas como não tinha o número comigo, não pude saber qual era a sua casa, mas será que da sua vc vê a minha? Gente, que coisa, né?

Olha, não sei se vc viu no blog, mas estamos organizando um encontro de blogueiras de Campinas e região e eu conto com você. Me manda um email pra eu te colocar na listinha. Você vem, né?

beijos