quinta-feira, 22 de julho de 2010

"Estudando um pouco sobre Arte"


O significado da arte Raquel Pádua

fonte aqui

Para meu maior conhecimento e formação, dei início a um estudo sobre Arte e gostaria de deixar registrado aqui algumas  partes desse extenso estudo.
Sou uma apaixonada pela arte e tudo o que ela me transmite e me ensina. Seja ela nas minhas pinturas, mesmo que no tecido, nos meus artesanatos, na literatura e filosofia, na minha paixão por decoração de ambientes e jardinagem e mesmo, por que não na minha fascinação na Arte de cozinhar. 
Como sou autodidata , melhor mesmo é ir atrás e estudar, nada melhor nessa vida que estar sempre a aprender, para jamais ficar  na escuridão do não saber. 
Por vezes em minha vida passei vergonha por não poder discutir em reuniões assuntos que eu não tenho conhecimento. E ficar fazendo CARA DE PAISAGEM nem pensar.
Por isso dei início a esse estudo, e quero partilhar aos amantes da arte como eu...

O que é ARTE?

Arte (Latim Ars, significando técnica e/ou habilidade) geralmente é entendida como a actividade humana ligada a manifestações de ordem estética, feita por artistas a partir de percepção, emoções e ideias, com o objetivo de estimular essas instâncias de consciência em um ou mais espectadores, dando um significado único e diferente para cada obra de arte.
Definição::..
A definição de arte varia de acordo com a época e a cultura. Pode ser separada ou não em arte rupestre, como é entendida hoje na civilização ocidental, do artesanato, da ciência, da religião e da técnica no sentido tecnológico.
Assim, entre os povos ditos primitivos, a arte, a religião e a ciência estavam juntas na figura do xamã, que era artista (músico, ator, poeta, etc.), sacerdote e médico. Originalmente, a arte poderia ser entendida como o produto ou processo em que o conhecimento é usado para realizar determinadas habilidades.
Este era o sentido que os gregos, na época clássica (século V a.C.), entendiam a arte: não existia a palavra arte no sentido que empregamos hoje, e sim "tekné", da qual originou-se a palavra "técnica" nas línguas neo-latinas. Para eles, havia a arte, ou técnica, de se fazer esculturas, pinturas, sapatos ou navios. Neste sentido, é a acepção ainda hoje usada no termo artes marciais.
A arte existe desde que há indícios do ser humano na Terra. Ao longo do tempo, a função da arte tem sido vista como um meio de espelhar nosso mundo (naturalismo), para decorar o dia-a-dia e para explicar e descrever a história e os diversos eus que existem dentro de um só ser (como pode ser visto na literatura), e para ajudar a explorar o mundo e o próprio homem. Estilo é a forma como a obra artística se mostra, enquanto que Estética é o ramo da Filosofia que explora a arte como fundamento.
Minha curiosidade a respeito dos VASOS GREGOS

Dádivas da Grécia

ONDE estão as antigas pinturas gregas de Zeuxis e as obras-primas de Polignoto? Onde está a obra de Apeles, pintor da corte de Alexandre, o Grande? Praticamente, nada se salvou das devastações do tempo. Mas peias recordações históricas sabemos que aquelas pinturas tinham a dignidade e a grandeza das outras artes da Grécia. Porque o grego antigo conhecia o ritmo, o equilíbrio, a simetria e o desenho. Um povo que podia construir um Partenão não haveria de fracassar nas outras artes. Felizmente, temos uma fase da pintura grega bem representada, na maior parte dos museus da arte mundial, isto é, o vaso.
A história dos Vasos Gregos é emocionante. Deveis lembrar-vos de que aqueles vasos de tão elevado preço, delicados como são, de forma e de côr, eram justamente a louça diária dos gregos. Somente um dos numerosos tipos se usava para derramar o óleo sagrado sobre os cemitérios. Todos os outros vasos usavam-se para as prosaicas funções cotidianas de lavagem, bebida, conserva de frutas e carreto d’água. Tão amantes eram, porém, os gregos da beleza, que davam delicada forma e côr até aos mais comuns de seus utensílios.
O vaso grego mostra-se geralmente pintado com figuras em preto sobre fundo vermelho. As linhas, que limitam o contorno do corpo ou as dobras das roupas, tiveram de ser riscadas em preto com instrumentos pontudos. Nessa fase da pintura de vasos (6.° século A. C), já encontramos um excelente senso do desenho. Cada figura é bem desenhada, geralmente de perfil. O olho é o mais difícil de pintar no perfil. Em consequência, os primitivos gregos, como os egípcios, mostravam a frente do olho na vista lateral do rosto. O efeito é um tanto grotesco.
Em fins do século 6.°, começou a mudança na pintura de vasos e, durante algum tempo, foram usados dois estilos: a pintura em figuras negras e o estilo, mais fino, de figuras em vermelho. No estilo de figuras em vermelho, delicadas linhas pretas podiam ser pintadas, para delinear dobras e movimentos do corpo. Frequentemente um enfeite branco era usado diretamente sob a borda do vaso, ou perto da extremidade. As bordas do vaso são encantadoras e devem ser cuidadosamente observadas para que o gozo seja completo. A folha do louro « a baga, o ôvo e a seta e, acima de tudo, o padrão de linhas retas e ângulos retos, contam-se entre os preferidos.
Todos os temas dos desenhos são, sem dúvida, as figuras humanas, arranjadas em variadas espécies de grupos e gestos agradáveis, figuras de mortais e dos deuses do mar e do céu.
O oleiro e o pintor não eram, em geral, o mesmo indivíduo. Depois que o vaso era posto na roda e depois da primeira combustão, o pintor fazia seu desenho. Depois disto, havia ainda duas combustões, nas quais a côr tendia a expandir-se com o calor. O pintor trabalhava com meticuloso cuidado, agarrando o pincel com pulso firme. A grande Krater (taça para mistura de vinhos) necessitava dum tipo de desenho, bem diverso do da pequena e delicada Kylix (taça de beber). Os nossos sensitivos gregos compreendiam isso de um modo perfeito,
Vaso 1: Aquiles (a esquerda) e Ajax jogando xadrez durante a Guerra de Tróia.
Vaso 2: Aquiles a ponto de matar Penthesileia, a rainha Amazona que veio ajudar o exército troiano após a morte de Heitor. No lado de trás (segunda imagem), aparecem Dionísio e o jovem.
Vaso 3: Odisseu (amarrado) e as sereias (que na tradição grega tem asas), num dos famosos episódios da Odisséia. Vaso de cerca de 480-470 a.C., que se encontra no Museu Britânico.
 fonte aqui

AOS AMANTES DO VINHO CURIOSIDADE

As ânforas gregas e seu significado...

Ânforas (*) gregas foram encontradas em quase todas as regiões que os gregos fizeram comércio, tais como: Egito, França, Bulgária, Itália, e Rússia.
(*) Ânforas são vasos antigos de origem grega de forma geralmente ovóide e possuidoras de duas alças. Confeccionados em barro ou terracota, com duas asas simétricas, geralmente terminado em sua parte inferior por uma ponta ou um pé estreito, e que servia sobre tudo para o transporte e armazenamento de gêneros de consumo, tal como a salmoura. Era usada pelos gregos e romanos para conter sobretudo líquidos, especialmente o vinho. Servia também para conter azeite, frutos secos, mel, derivados do vinho, cereais ou mesmo água.
Entre as muitas evidências da sabedoria grega para o uso do vinho são os escritos grega para o uso do vinho são os escritos atribuídos a Eubulus por volta de 375 a.C. :

"Eu preparo três taças para o moderado: uma para a saúde, que ele sorverá primeiro, a segunda para o amor e o prazer e a terceira para o sono. Quando essa taça acabou, os convidados sábios vão para casa. A quarta taça é a menos demorada, mas é a da violência; a quinta é a do tumulto, a sexta da orgia, a sétima a do olho roxo, a oitava é a do policial, a nona da ranzinzice e a décima a da loucura e da quebradeira dos móveis."
fonte  


Amanhã tem mais sibre ARTES.
Beijos de bom e maravilhoso dia para você!

Nenhum comentário: