segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

"Cuide da sua Pele"

Li a matéria abaixo e achei super interessante.
Longe de mim querer ensinar higiene íntima a qualquer pessoa. Mas aprendi muito com o texto e quero partilhar com você.


Poucas mulheres perguntam aos médicos qual é a forma correta de fazer a higiene íntima. Talvez nem seja por uma questão de timidez, mas, sim, pela simplicidade e até pelo fato de ser algo de certa forma instintivo. De fato é simples, mas também é importante que as mulheres conheçam muito bem o próprio organismo para cuidar bem dele.

“Como em todo nosso corpo, na vagina também há micro-organismos que protegem das infecções de fungos e bactérias. Por isso, é preciso estar atenta aos cuidados para não alterar essa flora e não destruí-los”, explica a ginecologista Lucila Nagata, do Hospital Regional da Asa Sul, em Brasília.

Assim, é importante permitir a respiração da pele dessa área. Roupas muito apertadas e feitas de materiais sintéticos acabam impedindo a passagem de ar. “Aconselho deixar as peças mais justas para eventos mais esporádicos, e quando chegar em casa, trocar sempre por roupas folgadinhas”, observa a médica ginecologista e obstetra do Hospital São Luiz, em São Paulo, Mônica Resende. As mulheres têm ainda a opção de usar saias e vestidos.

As calcinhas também devem ser bem escolhidas. Mesmo se forem de materiais sintéticos ou mais sofisticados, como as rendas, observe sempre se o forro é de algodão. “Esse tecido auxilia na respiração da pele”, afirma Mônica. E completa: “Além disso, quando possível, prefira a cor branca, que é menos alergênica que os tecidos coloridos tingidos”.

Os principais problemas causados pela higienização incorreta são as infecções – da vagina e do trato urinário –, e os primeiros sinais são corrimentos, ardência e mau cheiro. “É muito mais comum esse tipo de infecção acontecer nas mulheres que, geralmente, seguram mais a urina por preferirem não usar banheiros públicos”, alerta Lucila. Se acontecerem alguns desses sintomas, é necessário procurar um especialista para que o problema seja avaliado.

Da maneira certa

Quando for tomar banho, sempre faça a limpeza primeiro da vagina e depois do bumbum. As duas áreas têm micro-organismos diferentes e é importante que eles não se misturem. Sabonetes íntimos são recomendados pelos médicos. “Eles ajudam a manter o equilíbrio da flora vaginal”, destaca a ginecologista Lucila Nagata.

"O ideal é fazer a higienização com água e sabonete, pelo menos, de uma a duas vezes por dia. E também sempre depois que evacuar", esclare Lucila. É essencial, ainda, que as mães orientem as filhas desde pequenas para que a higiene íntima correta se torne um hábito desde cedo.

Inspiração calcinhas::..

Calcinhas: as microfibras são o tecido da vez


Com o início do calor, é comum vermos nas ruas mulheres com regatas, shorts, saias e vestidos mais leves. Mas e as calcinhas? Será que estamos usando os tecidos certos para a estação? Especialistas indicam que é preciso ficar atento a isto porque a má ventilação nas partes íntimas pode causar alergias. Por isso, algumas grifes de lingeries estão lançando produtos conhecidos como a supermicrofibra . Elas são mais finas do que a microfibra comum, proporcionam conforto térmico e facilitam a transpiração, porque absorvem e eliminam rapidamente este suor, típico em épocas quentes.

A Hope, por exemplo, trabalha com duas linhas que, segundo a gerente de produtos, Aline Blanco, estão entre as campeãs de vendas: a nude (com 25% de elastano, adere ao corpo, não tem costura nem elástico) e a touch (com elástico bem fino). Para as alérgicas ou aquelas que simplesmente preferem algodão, há também as de 100% deste material além da cotton lycra.

Mas como a brasileira gosta de usar modelos que aparentam ser menores e as 100% algodão acabam apresentando uma modelagem maior, a Hope desenvolveu uma técnica para atrair os olhares de quem gosta de usar este tecido: as Bloomers, que se encolhem por causa dos elásticos franzidos e à medida que esticam, ficam no formato ideal do corpo da mulher.

Na linha básica, predominam, além dos tecidos sintéticos, como lycra e microfibra, as fibras naturais, como bambu e algodão. Segundo a diretora de criação da Darling, Margareth Lewinski, as fibras de bambu são similares, na aparência, com a viscose, porém apresentam um toque mais parecido com o algodão. Todas as linhas da marca têm tratamento antibacteriano, cujo produto dura cerca de 50 lavagens.

Independentemente do tecido ou da marca, as calcinhas apresentam no forro um tecido de algodão. Segundo o médico Paulo César Giraldo, presidente da Comissão de Doenças Infectocontagiosas em Ginecologia e Obstetrícia da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), ele evita que substâncias sintéticas fiquem diretamente em contato com as partes íntimas, mas não resolvem os problemas de ventilação causados pela maioria dos produtos composto por esses materiais. “Existem testes que revelam níveis de irritabilidade e da temperatura atreladas aos tecidos, mas é importante ressaltar que cada mulher é de um jeito. Algumas apresentam tendência a alergia e outras não.”

Como lavar sua lingerie

Você sabia que até para lavar suas calcinhas existem alguns truques? Uma peça mal lavada pode causar alergias à sua pele, sem falar que ela pode estragar com o tempo. Enxaguar bastante, retirando quaisquer resíduos do produto de limpeza e deixar secar sua calcinha em locais arejados, secos e na sombra são algumas das dicas apontadas por Giraldo.

E aí vai mais um aviso importante: se quiser conservar suas peças por mais tempo, evite também colocá-las em lava-roupas, já que elas são mais delicadas. Por isso, tente lavá-las com as mãos. De preferência, em água fria. Em temperaturas quentes, as fibras e tecidos podem esgarçar-se ou romper-ser.

fonte aqui




Boa semana pra você!
Beijos !
Rosane!




Nenhum comentário: