quarta-feira, 21 de maio de 2008

Pêras ao vinho - Curisiosidades da vovó


Pêras ao Vinho

Ingredientes:: -

4 pêras
3 cravos-da-índia
150g de açúcar
canela em rama
casca de limão cortada bem finas
1/2 garrafa de vinho tinto de boa
1 copo de água
1 lata de 200g de creme de leite

Modo de Preparo::-

Levar as pêras ao fogo com a água, o vinho, o açúcar e os cravos-da-índia, a canela e a casca de limão.
Quando as pêras estiverem macias, retirar os cravos, a canela e a casca de limão e colocar as pêras numa compoteira.
Com a calda do vinho, fazer um creme colocando 1 colher (sopa) de maisena, dissolvida num pouco de água.
Verter este creme de vinho sobre as pêras. Servir gelado, acompanhado de creme de leite batido.

Rendimento: 4 pessoas


Curiosidades da vovó::-


O que fazer e o que não fazer com vinhos

Taças de vinho

lave as taças logo após o uso com pouco detergente neutro ou somente com água quente e enxágüe com um pano limpo sem fiapos. Guarde na posição vertical (em pé).

Abrindo um espumante

Retire o alumínio da cápsula, remova o arame com cuidado, pois o líquido está sob pressão e evite direcionar para pessoas.- Aponte a garrafa para longe de você e segure a rolha com um guardanapo. Torça a garrafa, não a rolha, fazendo pressão para baixo, soltando-a com cuidado.- Ao abrir, deve-se fazer o menor estouro possível para evitar a perda de gás.- Sirva devagar para evitar espuma e mais uma vez até completar 2/3 da taça.

Rolhas

Elas selam o vinho para evitar a entrada de ar e são feitas de cortiça. As mais longas e menos marcadas são as de melhor qualidade, indicando um vinho apropriado para o envelhecimento. Rolhas plásticas e reconstituídas são boas alternativas para vinhos do dia-a-dia (não guarda).


Removendo a rolha

O Melhor saca rolhas é aquele no mínimo, fácil de segurar e com espiral arredondada e aberta. O com alavanca, geralmente em forma de canivete, continua a ser um dos mais simples e eficazes. Antes de retirar a rolha, retire o alumínio da cápsula e limpe em volta do gargalo. Não atravesse a rolha com o saca-rolhas. Retire devagar.

Extraindo uma rolha partida
Uma rolha partida ou presa é melhor extraída com o saca-rolhas sendo introduzido em um só ângulo. Introduza o saca-rolhas diagonalmente e puxe levemente, segurando firme a garrafa. Saque a rolha devagar, mantendo o ângulo e com cuidado para que não caiam pedaços da rolha dentro da garrafa.

Por quanto tempo o vinho é bom para se tomar

O ar afeta o vinho. É melhor consumi-lo depois de aberto pela primeira vez. Caso necessite guardar o vinho, ponha a rolha de volta e refrigere imediatamente. A durabilidade depende de vinho para vinho; os brancos duram um pouco menos que os tintos, mas ambos perdem sabor após abertos.

Decantando um vinho

Com a idade, muitos vinhos produzem um depósito de taninos e pigmentos de cor. Para resolver isso o vinho é decantado. No caso dos jovens ajuda na oxigenação e liberação de aromas. Ele evolui mais rápido no copo que na garrafa.- Deixe a garrafa em pé por algumas horas.- Remova a rolha e limpe o gargalo.- Coloque o vinho com cuidado sem mexer muito em um decanter, iluminando a garrafa. Quando os sedimentos aparecerem, volte a garrafa para posição vertical. O vinho deverá ser servido no decanter.

Como guardar?

Em ambiente natural constante, escuro e sem mudanças de temperatura, movimentos, som e com a umidade de até 70%.As garrafas devem ser guardadas na horizontal e as caixas empilhadas pelo lado para que as rolhas permaneçam embebidas, inchadas e herméticas.Algumas horas antes de beber, coloque o vinho na posição vertical para que o sedimento se aloje.

O que não fazer!


Vinhos Brancos- Gelar ou resfriar em excesso-

Não deixar na geladeira vários meses- Não utilizar congelador para resfriar- Não colocar cubos de gelo no vinho

Vinhos Tintos- Não “CHAMBREAR” (esquentar) em excesso-

Não passa pela água quente para aquece-lo- Não colocar a garrafa sobre o aquecedor para obter uma boa temperatura.Provar o vinho Expressar e comunicar as sensações de um copo de vinho para um amador nem sempre é fácil, mesmo sabendo aprecia-lo.

Os vinhos diferem-se uns dos outros em cor, nos aromas e sabores. Para degustar é preciso prestar atenção usando os sentidos, tornar uma obrigação como comer e beber e procurar fazer disso um prazer.

1- Exame Visual: Observar a cor, nuance, limpeza e brilho.
2- Exame Olfativo: É onde analisamos os aromas ou odores do vinho. Eles são mais ou menos intensos, mais ou menos complexos, conforme o tipo de vinho e a sua qualidade.
3- Exame Gustativo: Revela o equilíbrio entre os diferentes sabores de vinho, (acidez, amargor, doce e salgado) bem como as diversas sensações como adstringência, a untuosidade e o calor.

Um comentário:

Du disse...

Estou quase sem tempo de vir aqui, mas sempre dou uma olhadinha pra ver as novidades! Que post gostoso esse, vovó!!!

Beijão