terça-feira, 2 de novembro de 2010

"Não se esqueça a vida é eterna"

No Dia de Finados, não se comemora a morte;  festejam-se a alegria da vida eterna!

No Dia de Finados,
não se comemora a morte;
festeja-se a alegria da vida eterna!

Os cristãos batizados são convidados a santificar-se e os que decidem viver plenamente o mistério pascal de Cristo não têm medo da morte. Porque ele disse: "Eu sou a ressurreição e a vida".

Para todos os povos da humanidade, seja qual for a origem, cultura e credo, a morte continua a ser o maior e mais profundo dos mistérios. Mas para os cristãos tem o gosto da esperança. Dando sua vida em sacrifício e experimentando a morte, e morte na cruz, ele ressuscitou e salvou toda a humanidade. Esse é o mistério pascal de Cristo: morte e ressurreição. Ele nos garantiu que, para quem crê, for batizado e seguir seus ensinamentos, a morte é apenas a porta de entrada para desfrutar com ele a vida eterna no Reino do Pai.

Enquanto para todos os seres humanos a morte é a única certeza absoluta, para os cristãos ela é a primeira de duas certezas. A segunda é a ressurreição, que nos leva a aceitar o fim da vida terrena com compreensão e consolo. Para nós, a morte é um passo definitivo em direção à colheita dos frutos que plantamos aqui na terra.

Assim sendo, até quando Nosso Senhor Jesus Cristo estiver na glória de seu Pai, estará destruída a morte e a ele serão submetidas todas as coisas. Alguns são seus discípulos peregrinos na terra, outros que passaram por esta vida estão se purificando e outros, enfim, gozam da glória contemplando Deus.

Os glorificados integram a Igreja triunfal e são Todos os Santos, os quais, nós, os integrantes da Igreja militante, cristãos peregrinos na terra, comemoramos no dia 1o de novembro. Os Finados integram a Igreja da purificação e são todos os que morreram sem arrepender-se do pecado.

O culto de hoje é especialmente dedicado a esses. Embora todos os dias, em todas as missas rezadas no mundo inteiro, haja um momento em que se pede pelas almas dos que nos deixaram e aguardam o tempo profetizado e prometido da ressurreição.

A Igreja ensina-nos que as almas em purificação podem ser socorridas pelas orações dos fiéis. Assim, este dia é dedicado à memória dos nossos antepassados e entes que já partiram. No sentido de fazer-nos solidários para com os necessitados de luz e também para reflexão sobre nossa própria salvação.

Encontramos a celebração da missa pelos mortos desde o século V. Santo Isidoro de Sevilha, que presidiu dois concílios importantes, confirmou o culto no século VII. Tempos depois, em 998, por determinação do abade santo Odilo, todos os conventos beneditinos passaram, oficialmente, a celebrar "o dia de todas as almas", que já ocorria na comunidade no dia seguinte à festa de Todos os Santos. A partir de então, a data ganhou expressão em todo o mundo cristão.

Em 1311, Roma incluiu, definitivamente, o dia 2 de novembro no calendário litúrgico da Igreja para celebrar "Todos os Finados". Somente no inicio do século XX, em 1915, quando a morte, a sombra terrível, pairou sobre toda a humanidade, devido à I Guerra Mundial, o papa Bento XIV oficiou o decreto para que os sacerdotes do mundo todo rezassem três missas no dia 2 de novembro, para Todos os Finados.

Fonte: www.paulinas.org.br

 Orem comigo::..


Oração pelos Finados

Pai Santo, Deus eterno e todo-poderoso,
nós vos pedimos por
[nome do falecido(a)]
que chamastes deste mundo.

Dai-lhe a felicidade, a luz e a paz.

Que ele(a), tendo passado pela morte,
participe do convívio de vossos santos na luz eterna,
como prometestes a Abraão e à sua descendência.

Que sua alma nada sofra, e vos digneis ressuscitá-lo(a)
com os vossos santos no dia da ressurreição e da recompensa.

Perdoai-lhe os pecados para que alcance
junto a vós a vida imortal no reino eterno.

Por Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Rezar: 1 Pai Nosso e 1 Ave-Maria.

Dai-lhe, Senhor, o repouso eterno
e brilhe para ele(a) a vossa Luz!

Amém.

 
 
 
Bom dia para você!
Luz, paz, amor, fé e esperança!
 
 
 
 

2 comentários:

Alfa & Ômega disse...

Rosane, fiz infinitas vezes esta oração para minha mãe e depois, nem chegou há um ano da morte dela, foi meu marido.Rezava chorando e tal era meu clamor, que o Senhor na sua infinita misericórdia, concedeu-me a paz, a serenidade para continuar a vida sem os dois pilares da minha casa. Parabéns pelo post. Excelente! Beijão, menina bonita!

Mariella disse...

Grazie per la bella preghiera che non conoscevo ma che da oggi dedicherò ai miei cari .Ciao Mariella